Follow by Email

sábado, 3 de outubro de 2009

"Incontinência Absoluta"

Enfim fiz as pazes comigo mesma! Chega desta palhaçada de sofrer por causas desconhecidas, ou criar dilemas pessoais inexistentes! Tenho que me aceitar com as incostâncias, com as maluquices, alterações de humor, mudanças de idéia, e todas as particularidades desse ser complexo e confuso que sou! Descobri, que curto esta complexidade, essa coisa de ser inconstante, de ter sempre uma surpresa a me esperar... tenho que parar de tentar querer ser coisas que não me pertencem, ou que passam bem longe desta minha múltipla personalidade. O complexo me fascina, o complicado me atrai, o inexplicado "me enebria, me entontece". Amo as coisas simples da vida, mas adoro pensar complexamente sobre elas. Acho que o diferencial de cada um está na "verdade de se ser de verdade" !! Estranho e confuso este termo, né? Mas acho que se encaixa perfeitamente no momento. Se todos fôssemos de verdade, todos seríamos insanos (mais saudáveis), únicos, autênticos e felizes! Já no meu caso, acho que peco por ser de verdade demais! Isso choca, assusta, afasta... Mas só sei ser deste jeito! Já fiz inúmeras tentativas frustradas de tentar manter uma imagem de "gente como toda a gente", e realmente foram todas sem sucesso algum. Não tenho o controle do que falo, do que penso, de como meu corpo reage às situações... Acho que meu problema é fisiológico, poderíamos chamar de incontinência de reações, de pensamentos ou de atitudes, ou melhor "incontinência absoluta". O ato de conter-se é admirável, às vezes... apesar de achar quase sempre, que este soa como um ato de covardia. Mas este predicado ou defeito me falta, e hoje aprendi que sou feliz sendo assim incontinente, imperfeita, mas de verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário