Follow by Email

domingo, 17 de abril de 2011

E se...

Como fazer? Acho que peguei a trilha errada. Eu amo cantar, quero falar muitas línguas, conhecer muitas pessoas, muitos lugares. Ver muitos pôr-do-sol e muitos luares... Quero filosofar sobre nada, sussurrar coisas sem sentido, recitar poesias feias feitas por mim, quero deixar-me ser, permitir-me e gritar do fundo da minha alma que sou feliz e a liberdade é meu guia. No momento, sinto-me enclausurada, sufocada. Presa em um labirinto sem saídas. De tudo o que penso que é feliz, me vejo no rumo contrário. Surpreendo-me as vezes imaginando-me tendo feito tudo diferente. E se eu não fosse tão comedida, sensata, medrosa? Ao mesmo tempo minha razão afirma: "tudo é como tem que ser". Acho que esse é o maior de meus antagonismos: razão ou emoção? Arte ou ciência? Hum, nunca terei a resposta. Desistir não é meu forte. E se... isso dói.

Nenhum comentário:

Postar um comentário