Follow by Email

domingo, 17 de abril de 2011

"Furfles"

Coisa estranha... ando pensando demasiadamente sobre como nasci ao contrário.
Ou como o tempo soa de forma particular para cada um. Lembro-me de ser muito velha quando pequena. Não entendia as coisas de criança e entendia muito bem as coisas de adulto. Achava muito estranho estar naquele corpinho pequeno, enquanto minha alma tinha angústias de uma velha. Meus irmãos diziam com deboche, que eu sofria de uma doença muito chata: "adultil". Meus interesses eram ler, estudar e questionar as coisas da vida. Me sentia cansada e dizia sempre: sofro de tédio. Nada naquele mundo infantil me parecia familiar, ou despertar interesse. Passei a minha infância como uma velha angustiada solitária de 80 anos. Os anos passavam e me vi rejuvenecer, ou melhor tornar-me jovem, enfim. Estranho... parece-me que o tempo anda ao contrário, ou será que eu ando na contramão do tempo. Agora, enfim uma jovem adulta, enxergo-me como uma adolescente, cada vez mais imatura, inconsequente. Das inúmeras coisas que não entendo, o tempo é uma. Acho que se continuar assim entenderei menos ainda as coisas da vida. Se é que um dia alguém tenha entendido algo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário